segunda-feira, 14 de outubro de 2019

FEIRA DO LIVRO USADO - 21 A 26 DE OUTUBRO - BIBLIOTECA MUNICIPAL



A comunidade educativa é convidada a oferecer às Bibliotecas Escolares livros/documentos usados, mas em bom estado de conservação, para a Feira a realizar na receção da Biblioteca Municipal em outubro, durante uma semana, no âmbito do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.

Esta iniciativa anual tem como objetivos específicos a promoção da leitura, o desenvolvimento do espírito empreendedor, a reciclagem de materiais usados e o incentivo ao contacto com livros ou outro tipo de documentos.

PRÉMIO LITERÁRIO JOÃO DA SILVA CORREIA 2018

 


 


Na passada 6ª feira, no Salão Nobre da Câmara Municipal de S. João da Madeira e inserido nas comemorações do 11 de Outubro, teve lugar a entrega do Prémio Literário João da Silva Correia 2018 (Poesia), ao vencedor Nuno de Figueiredo.

O Prémio Literário João da Silva Correia, grande escritor sanjoanense, foi instituído pelo Município de S. João da Madeira, em 1986, com o objetivo de promover a leitura e a escrita criativa e de incentivar o aparecimento de novos valores e talentos literários.

O júri da edição de 2018, constituído pelo ex-ministro da Cultura, escritor, poeta e ficcionista Luís Filipe Castro Mendes, pelo poeta José Fanha e pelo editor António Baptista Lopes, apreciou mais de quatro dezenas de obras de poesia, tendo atribuído o Prémio João da Silva Correia à obra "Manhãs do Mundo" de Nuno Figueiredo, pela sua qualidade poética.

Nuno de Figueiredo nasceu em Coimbra, onde reside e trabalha. É licenciado em engenharia civil pelo Instituto Superior Técnico.
Como poeta, publicou em 1985, o seu primeiro livro "O Desencanto em canto" (edição de autor).
Mais recentemente editou em 2014 "Crepúsculo" (Taratruga), prémio Fernão de Magalhães Gonçalves, e "Longo caminho para casa" (Minerca Coimbra), prémio Florbela Espanca.
"Dias verticais", prémio Vasco Graça Moura 2016, foi lançado em 2017 pela Afrontamento, e "Sublimação da matéria", distinguido em 2017 com o prémio António Cabral, encontra-se a aguardar edição.
"Epifanias" foi galardoado com o prémio Actor Mário Viegas 2018, instituído pelo Centro Cultural Regional de Santarém, que promoveu a edição.
Como ficcionista, iniciou-se em 1997 com o romance "Os dias gloriosos do Império", primeiro volume de uma trilogia intitulada "Vida e morte de Inocêncio".
Os livros mais recentes são "Rendição e trevas", galardoado em 2011 com o prémio literário Alves Redol (romance), a que se seguiu "Vida e sombra", em 2012, prémio literário Miguel Torga, atribuído pela Câmara Municipal de Coimbra.
Em 2016 saíram os últimos romances: "Aprender a perder" (C.M. Coimbra), prémio João José Cochofel, e "Gramática da melancolia" (Âncora Editora), prémio Orlando Gonçalves.
Pelo meio ficam três dezenas de outras obras - poesia, contos, romances - a várias das quais foram atribuídos prémios literários.
escreve para jornais e revistas de letras e está representado em diversas recolhas e antologias.


Apesar do regulamente não prever a atribuição de Menções Honrosas, o júri acordou em atribuir 5 menções honrosas aos seguintes concorrentes:





menções honrosas:



PSEUDÓNIMO GABRIELA AL – “OS CONTENTORES NÃO CABEM NAS CARAVELAS”
Ana Maria Carvalho Pinheiro Vieira (Lisboa)

PSEUDÓNIMO ANTÓNIO BASTOS DE CASTRO – "A QUAL FONTE O SOL REGRESSA? SEGUIDO DE PÁSSARO MOLHADO NA ALGIBEIRA"
Luís Aguiar (Águeda)

PSEUDÓNIMO PILAR VERDADE - "Eras o cervo que fugia depois de haver-me ferido"
Fernando Manuel da Cruz Cabrita (Olhão)

PSEUDÓNIMO LUCA DI S. PIETRO – "UMA CASA DE PAPEL ONDE MORAR"
Nuno Garcia Lopes (Asseiceira)

PSEUDÓNIMO NGOLA NALEMU - "IMPRECISÕES"
José Manuel Teixeira (Guimarães)